DO APRENDIZADO PARA VIVER


O amor ensinou-me a florescer na primavera
E mesmo que alguns brotos possam ser cortados,
Ainda assim estarei sempre e profundamente inteira...
No inverno, o amor ensinou-me a paciente espera.
Congelada em meu coração, conservo-me até que
Chegue o verão com o seu gostoso calor e assim,
Poderei derreter-me em alegria e luz e flor...
No outono, permito-me despadaçar devagar, um
Pedaço meu ali, outro aqui e depois como uma
Colcha de retalho, junto-me, costuro-me e renasço
Para a próxima estação...Dias caminham e vão,
A vida segue sua estrada...Árvores enraizam mais,
Folhas caem desmaiadas, flores nascem pela madrugada
E eu conto o tempo olhando o universo em sua bela e
Constante mudança de roupa...Dentro de mim, uma sutil
Natureza a trabalhar em eterno silêncio e admiração...
Uma canção perfuma a constante decantação de minha
Vida e como uma margarida abro minhas pétalas ao
Sol e como uma borboleta, alço vôos profundos dentro
De minha imortal alma, dentro de meu selvagem coração...
E aprendi tudo observando o curso natural da natureza e
A lição maior é que descobri que relacionar-se é a singela arte
Do respeito e da delicadeza, do diálogo e da gentileza, do amor
A si e ao outro, seja este outro planta, animal ou gente...Afinal
De contas, a vida só tem graça porque tudo é tão diferente...
.
Karla Bardanza

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana