O ALÉM DE MIM


Pousei a boca na lua
E senti o sabor das estrelas:
Uma a uma desmanchou-se
Em flor.
Contemplei.
Minha alma árida
Abriu-se em um olho d’água.
Alimentei-a com luz em
Plenitude, com esperança
E com a minha própria
Redescoberta.

Surpreendi o meu olhar
Com desafios e mares
Sem fundo.
Mergulhei em meu próprio
Coração, flui em minhas
Paisagens sem início e fim.
Vaguei despedaçada
Até encontrar a porta aberta

Abri-a.

Um vale cheinho de margaridas

Calou o meu olhar no além de mim.

Era a minha vida refugiada

Dentro de mim.



Karla Bardanza

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana