ESBOÇO DO MEDO


Prepara-se o corpo para a luta.
A mágoa no olhar denuncia
A falta de luz e fantasia,
A alma vazia, a vida matando
E morrendo num eterno enigma
E desconhecimento de amor.

Preparam-se as mãos.Fecham-se
Enquanto os pés pisam uma flor.
O coração na boca, a voz rouca,
O grito preso dentro da dor.
Esboço do medo, da delicadeza
Louca do cotidiano.Ano após ano,
O momento que nunca chega
Porque nunca fora buscado.

Prepara-se a travessia e quando
Chega-se em casa no fim do dia,
A frustração é maior que o coração.
Solidão de quem já se sente só,
Olhar vago na tempestade e sem
Mais ter o que perder, já nem mais
Lamenta ignorar o que chamam
De felicidade.

Prepara-se a camarim e encena-se
O novo ato para o dia seguinte,
Na clandestinidade, o arame farpado
Da cidade isolando a alegria à beira
Do abismo e assim segue a vida
Arranhando e sendo arranhada,
Matando à mão armada.


Karla Bardanza

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana