MEU NOME É CALYPSO - Καλυψώ



Fechei os olhos para o amor:

Ele parte sem culpa, eu apenas fecho

As mãos cobrindo o meu coração,

Escondendo o meu silêncio,

A minha derrota,

E solidão.



Pensei que poderia ser como eu

Sempre fui: independente, livre,

Com asas na alma, pensei...

Te resgatei do inferno, te dei colo,

Te amei...te amei...te amo...

Te fiz o meu Deus por tantos anos

(Mesmo quando não querias)

E ainda assim hoje te liberto

Para que volte para ela, para casa,

Para o que me mata e transfigura.



Leve o vinho, o pão, as carnes, o milho

E a água, leve a vida.

Mantenho o meu juramento,

Leve o tempo,

Deixe a ferida.



Meu nome é Calipso

E hoje assisto a minha morte

Com honra e cabeça erguida

Enquanto as nuvens cobrem

As minhas lágrimas e o céu

É apenas refúgio e dor.



Meu nome é Calipso,

E eu bebi o amor,

E eu conheci a delicadeza

Do mais profundo prazer.



Agora a porta está fechada

E não há mais nada,

E não há mais nada.



Karla Bardanza











































































Comentários

Postagens mais visitadas na última semana