SONHO NÚMERO 28

O sonho tem um olhar de nuvem assustada

E fala de coisas como se não houvesse amanhã

(amanhã...)

Depois desse encanto de última hora, o amor é mais

Que uma simples possibilidade despencando

Da minha meiga luxúria, é a evidência imperfeita

De que a mágica dura o tempo exato do delírio.

E eu, sinceramente, prefiro o delírio e as suas toscas

Conseqüências.

O impossível sempre guarda as melhores surpresas.

(é...amanhã...)

Com a licença dada, deixo o sonho morrer em paz.

De todos, foi o mais medroso, o mais difícil, aquele

Que é a mistura do talvez com o jamais.

(engraçado, bem no outro dia, ficamos um olhando para o outro)



É, sonha melhor quem pode sonhar a dois.

Que assim seja...

(amanhã, nunca ou quem sabe depois...)



Karla Bardanza

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana