A POESIA DO AGORA

Quadro de Chelin Sanjuan




Estou raciocinando o nada
com imensa alegria
enquanto ajudo as bolinhas
de sabão crescer e evoluir.

Esperei por muito tempo
para exercitar a minha inércia
e falta total de lógica.
Sorrio cheia de gratidão
pelo o que não me faz falta.

O meu desamparo agora
é apenas poético.
Estendo as mãos para as palavras
e vou salvando uma a uma
da chateação de servir.

Estou bem menos
do que eu já era.
Deve ser por isso que eu
me sinto bem melhor.
Sem verdades ou profundas teorias,
resta apenas a poesia,
a imorredoura poesia do agora.





Karla Bardanza








Copyright © 2011 Karla Bardanza Todos os direitos reservados Photobucket

Comentários

rosa-branca disse…
Lindo como tudo o que escreves. Beijos com carinho

Postagens mais visitadas na última semana