DE CORPO ABERTO

Quadro de Lorella Paleni




A palavra olha para mim
e me completa,
beijando os limites da minha pele,
amparando a minha cabeça
 interestelar que ainda
escreve o que não sabe
ousar.

Excedo
as fronteiras invisíveis da alma
e cresço para dentro,
para além da Via Láctea
e do tempo,
dissolvendo o céu em letras,
em coisas definitivas e vivas,
em fogo e água,
em terra e ar,
em elementos ao meu redor.

De corpo aberto,
estou menos só
porque transcender
é ir sempre além do que
os meus olhos podem
quando nada já podem.

A vida seca
nos meus lábios,
minhas mãos doem
e tudo se consome
em metáforas,
em palavras com fome
de mim.

E eu,
e eu
quando não sou mais eu,
sou eu enfim.




Karla Bardanza



Copyright © 2012 Karla Bardanza Todos os direitos reservados Photobucket

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana