O QUE FAZ O SANGUE SER

Quadro de Slava Fokk





Enquanto o corpo vai apagando
lentamente, meu coração vai crescendo,
reclamando um delicado prazer
desconhecido atravessado na aorta.

Não há mais espaço aqui dentro
para pequenas coisas, para
palavras e ritmos que não fazem
o sangue ser.

Descubro com gratidão
o tamanho de tudo que nunca foi medido
com os olhos nas horas e
nos momentos derradeiros
porque eles acordam todos
os meus deuses.

E é tão doce atravessar
todas as esquinas
com as mãos abertas,
sem querer mais nada além 
do que apenas sentir.



Karla Bardanza









Copyright © 2012 Karla Bardanza Todos os direitos reservados Photobucket

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana