POEMA SEM MEIAS-VERDADES

 Quadro de Serge Marshennikov



A manhã é você. 
Amanhã não é você.
Será apenas claridade,
dilatando a retina,
arrebentando outra ruga,
outras rusgas.

A manhã e os seus poucos
segundos, e a sua obra-de-arte:
uma bem-aventurança,
uma dança deslizando
pelo corredor de portas fechadas,
quase nada,
absolutamente nada.

Amanhã, os segundos dobrarão
os joelhos. De costas
para o espelho embaçado,
verei com coragem
o que posso guardar apenas para mim
e egoistamente, vou mentir
que posso ser feliz
com tão pouco,
com quase nada,
absolutamente nada.


Karla Bardanza




Copyright © 2012 Karla Bardanza Todos os direitos reservados Photobucket

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana