INTACTA


não te chamarias de amor,
não seria a tua transparência
nem o reflexo do teu reflexo.

não entenderia os teus mandamentos,
não ficaria entre tu e o tempo nas noites e dias de deus.
não te chamarias jamais de meu.


não perderias nada de mim nos teus olhos e braços.
de mim terias apenas claridades e um pouco de terror 
porque nada atravessa a minha densidade e plenitude,
nada arrasta as minhas luas das sombras.

de ti quero apenas o que 
desconheço em mim e 
que me faz desassossegada
quando tudo é bem maior do que sinto
e bem menor que o nada.

Karla Bardanza



Copyright © 2014 Karla Bardanza Todos os direitos reservados Photobucket

Postagens mais visitadas na última semana