EU NÃO TE AMO MAIS


Angústia arranha minhas entranhas

Sou essa nova estranha a mim mesma

E nada pode mais matar-me,nada mais

Teu olhar a incriminar,arma no peito

Não ouço não compactuo não te vejo

Não serei cúmplice de minha própria dor

Viajo pelo meu ventre sem culpa e desamor

Sou o que sou e se sou, assim deve ser

Deram-me uma vida, resta é viver e vivo

Além do bem do mal, do que se possa dizer

Sou alguém e ninguém pode contradizer

o que sou porque não amo mais você

E não te amo porque descobri algo perdido

E nisso encontro refúgio e uma certeza

Minha vida tem sido esse eterno espanto

Desde que entendi que o amor é surpresa

Ou talvez mais do que apenas um encanto

Quantas vezes eu dizendo sim e dentro de mim

Um não violentando-me,rasgando esse sim

Agora é o fim, terminou,o anel era de vidro

e se quebrou,o amor que eu tinha por ti

era muito mas você sempre foi desabrigo

Encontro minha verdade,ergo-me, brigo

Chega disso que foi,chega de mentir

Sinto, sinto, terminou,é o teu fim.
Karla Bardanza

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana