TODA A NOITE, A NOITE TODA


Com sensível indiferença

Leio tuas entrelinhas sem

Metáforas: expostas rimas

Rotas e cansadas. Lamento.

O plano A falhou. O plano B

Não assegura o Graal. Isso

É apenas ficção, fricção.

(Gosto dos teus erros)


Deito para apreciar a voraz

Paisagem surreal adocicada

Com o abandono dos grandes

Mentirosos e enquanto me

Distancio, te vejo (de)cair no

Mais profundo de teus belos

Abismos: tua rota escondida.


E é com gratidão que sei da

Impossibilidade da tua trajetória.

Essa que você duvida, mas que

Vicia e te escraviza com tanta

Delicadeza. Aprecio com fé e

Ternura os teus erros e tenho

Um prazer sádico em adivinhar

Todas as letras da tua solidão.


E bem, lá dentro de mim,

Quero que você se foda

No bom sentido, é claro,

Toda noite, a noite toda.

(Gosto disso...)


Karla Bardanza


































































Comentários

Postagens mais visitadas na última semana