CHEGA!



Tudo isso queima no deserto.

Teu corpo translado vai longe.

A coisa fechada está tão aberta.

Mistérios culposos só teus.



Não vou me arrebentar mais

Nesta viagem sem asas.

Bendito é o silêncio, o fruto

Dentro do ventre, quieto,

Calado.



Estou apertada

Neste ofício que não escolhi.



Teu corpo e tua boca

Estão longe de mim.

O que falas, pertences

Apenas a tua imaginação.



Pra você, apenas não.

Pra você, apenas o anonimato.

Queime a bruxa.

Teu ato, tuas palavras,

Teu todo louco.



Espalhas a minha pele

No vento e vens me falar

De amor.



Nunca participei de tuas

Travessuras.

Nunca ouvi tuas insondáveis

Juras.



Todos te ouvem

Ninguém me conhece.



Toda a abstração

Fica para quem dá a última

Resposta.



Não quero.

Nunca quis.



Guardo-me

De todas essas mensagens malditas.



Você nunca soube como

Adubar a minha hora.



Parto em breve

Mais leve,

Mais leve,

Deixando tua loucura

Para as tuas palavras.



Parto em breve,

Mais leve,

Mais leve,

Levando apenas uma

Única saudade:

Só você entende o meu modus operandis






Karla Bardanza

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana