GERÂNIO

Quadro de Kim Nelson




Como um gerânio
exposto as suas próprias
fraquezas,
isso é.

O desalento
é o tempo mudo,
as coisas que não são
transitórias,
o azul sempre azul,
absoluto 
distante dos meus contornos.

Como um gerânio
guardado nas sombras,
ressuscitando
com a luz que entra
pela janela,
isso é.

A dor e a verdade
são todas e minhas
quando as pétalas
se abrem
buscado o impossível e
toda a luz não cabe
no agora.

Como um gerânio
tentando ser alegre,
isso é.

E o que ainda me conforta
é a minha audácia,
é a minha coragem
de amar isso
que ainda insisto
em chamar de amor.



Karla Bardanza






Copyright © 2011 Karla Bardanza Todos os direitos reservados Photobucket

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana