ELA AINDA É UMA PROMESSA

Quadro de David Graeme Baker




Olhou-se no espelho
e com grande espanto, sentiu
que não queria ser responsável por aquelas rugas.

Ela tinha chegado repentinamente,
manchando as mãos,
descolorindo os fios quase longos.
É,
ela estava ali,
olhando de soslaio,
tomando conta das artérias,
e de todo o corpo.

Não estava preparada
para aquele encontro.
Não conseguia lidar 
com aquelas novidades.

Tudo estava em erupção.
Sentia que a sua idade cronológica
era diferente da mental:
lá ela era uma menina
andando de bicicleta apenas para
que o vento lhe despenteasse as memórias
e embaraçasse o tempo.

Era uma menina com um pouquinho
de sabedoria e experiência.
Era uma menina que sabia
ver as pessoas com tanta clareza
e compaixão.
Como a família estava distante,
tinha aprendido a amar com desapego.
Já que ele havia morrido.
tinha aprendido a sobreviver.

Às vezes quando fecha os olhos,
ele esta nu embaixo das cobertas.
(Nunca conseguiu parar de sonhar)
Não importa o quanto ela estivesse envelhecendo,
ela ainda era uma promessa.




Karla Bardanza



Copyright © 2011 Karla Bardanza Todos os direitos reservados Photobucket

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana