MUITO CALMA NESSA HORA

Quadro de Jerry Ott




Não sei se odeio
ou não odeio:
eis a questão!

Desconheço-me.
Reconheço-me.

Essa sou eu duas horas 
depois de afiar a língua
e o tridente.

Cuspo no chão,
trinco os dentes,
dou soco em ponta de faca.

Vomito fel,
amaldiçou,
inferno,
que inferno!

Meus diabinhos estão soltos
e não sei bem como lidar 
com isso sem machucar
ou sair machucada.

Por que será
que nasci com uma asa apenas
e tão danada?

Falo sozinha,
culpo até a minha última geração
e depois choro embaixo
do chuveiro
enquanto o sangue coagula
dentro do coração.

Durmo em chamas,
sem pensar em vingança.
Não carece não.
Temos o tempo inteirinho
e até a próxima encarnação.



Karla Bardanza



Copyright © 2012 Karla Bardanza Todos os direitos reservados Photobucket

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana