COGUMELOS



Lentamente,
a vida conhece a sua simplicidade,
abrindo-se para o abandono
inesperado do tempo,
conhecendo o ápice
da evolução,

Acordo tarde,
espreguiçando com um amor
estranho na beira dos olhos,
não procurando nada além
do agora sem sol,
da penumbra e sua dádiva doce.

Não levanto
para assistir o miraculoso
instante, o nascimento
de mais uma vida minha.
Sozinha, contínuo múltipla de mim.
Nada careço além
de cogumelos e de sua beleza
rápida, e de seu gosto
dissolvendo a manhã
na minha boca. 

Estou completa
(de nadas).


Karla Bardanza






Copyright © 2012 Karla Bardanza Todos os direitos reservados Photobucket

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana