POESIA E PÃO

Benito Cerma

Para Júlio
(in memoriam)


Dois silêncios existem agora.
O primeiro foi o das estrelas caídas 
quando a vida era a ponte
entre o maravilhoso e a teia imagética
dos dias. 

O segundo,
o segundo está em algum lugar
perto da tua selvagem mente
patriótica e insólita.
Isso sempre restará nas palavras,
nas coisas ainda caladas
que o coração finge que des-conhece.

Ninguém nunca poderá
entender o que te fazia menino e deus.
Ninguém nunca poderá
saber o que foi.
Que seja então silêncio e paz
porque aquilo, tudo aquilo
foi apenas o que sempre será:
 poesia e pão.
_______________________________

Karla Bardanza







Copyright © 2013 Karla Bardanza Todos os direitos reservados Photobucket

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana