ISTO APENAS

quando me adivinhavas,
eu era um poema inacabado,
um pedaço de metáfora


eternamente presa as
tuas entrelinhas.

não houve lamentos,
ou murmúrios quando
as mãos ficaram
levantadas para o ar.

as coisas derramam-se.
silêncio apenas.

agora que tudo me esquece
e eu pouco me lembro
das curvas das palavras.
abro a poesia inacabada
do que já deixou de ser,
buscando aconchego
nas coisas que ainda
podem ser ditas.
Mas, mesmo elas já
não podem sobreviver
a mim.


karla bardanza


Copyright © 2014 Karla Bardanza Todos os direitos reservados

Postagens mais visitadas na última semana