Seja bem-vindo. Hoje é

ENQUANTO OUÇO MEU CORAÇÃO...




Grandes coisas acontecem quando paramos para escutar o nosso coração.Percebemos melhor as pessoas,nos encantamos mais com que a vida nos oferece.Uma flor é quase um mistério...Suas pétalas e maciez tornam-se delicadeza aos nossos olhos.Tudo é motivo para a nossa admiração.De repente, a noite tem mais estrelas, galáxias e cometas...O universo é revelação e encanto.O maré segredo e enigma a desvendar, uma simples folhaé a sublime mão da divindade...A vida é magia.Quando escutamos o que há dentro de nós mesmos, olhamos com a alma.Conseguimos entender melhor o outro porque nos colocamos em seu lugar: sentimos o que ele/ela sente.Podemos ver o que está além do mero corpo físico.Podemos ver o sentimento.Fantástica esta capacidade que possuímos e pouco usamos: a capacidade de ler o/a outro/a, suas entrelinhas, símbolos e sinais.E apenas quem usa seu coração pode.Quantos de nosrealmente nos compadecemos diante da dor alheia?Quantos de nós nos alegramos com a felicidade do outro?Sim, sentir é uma arte!Sentir com intensidade,poucos conseguem.Madre Teresa de Calcutá,Ghandi,Cristo,Martin Luther Kingentre outros sentiram a intensidade da dor do/a outro/a.Olharam o próximo bem dentro da alma e compadecidos, ampararam, deram colo, consolaram...Milhares de professores e médicos, milhares de poetas e poetisas, anônimos, anjos sem asas fazem isso diariamente...Por isso, esse mundo ainda é um lugar que vale à pena...Creio que sempre haverá um alguém disposto a olhar com olhos de ver,a ouvir com ouvidos de ouvir, pronto para usar o seu coração,preparado para sentir e se maravilhar diante da vida e sofrer com e pelo próximo.O que seria de nós sem a nossa capacidade de amar?Que vida sem graça e descolorida teríamos.Nada poderia nos encantar...Nada seria apaixonante...Onde estaria a misericórdia?Onde estaria tantos outros sentimentos que nos tornam seres humanos?Bem, temos uma vida aqui, agora, que tal você ouvir o seu coração?Estou ouvindo o meu enquanto escrevo este texto,espero que você possa ouvir o seu também.


Karla Bardanza

ESTOU ESPERANDO POR TI...


Estou esperando por ti...Venha...Por que resistir?


Minha boca a te restituir a vida...


Uma margarida


Em meus cabelos...


Uma cama de flores para deitar,


Delícias da minha Índia, cheiro de incenso no ar...




Vem matar a saudade...Belezas para te alimentar...


Mil beijos de saudade...Minhas mãos a te acariciar...


E se quiseres danço para tua alma de botão de flor...


E se quiseres serás sempre o meu único amor...




Estou esperando por ti entre o sol e o luar...


Estrelas para te ensinar o caminho, mil


Passarinhos e borboletas para contigo voar...


E se desejares asas, eu posso te dar...




E se tiveres medo, podes ser o meu par...


Contigo dança perfeita, contigo imenso mar...


Sabes como nadar? Sabes que a saudade é frio?


Sem você, sou riacho triste e vazio...Sou navio


Sem porto e sem cais...O que mais te dizer?




Estou esperando por ti com olhos de prazer...


Estou aqui tentando viver...Nas esquinas de


Minha alma, uma brisa traz o teu perfume...


Um lume de vagalumes acendem meu coração...


Venha...Cante nossa canção...Enfeite o meu dia


Com mirra, alecrim e açafrão...Estou esperando por ti...




Karla Bardanza

O QUE HÁ ENTRE VOCÊ E MIM






O que há entre você e mim

É um mar, é um jardim...

Talvez seja um luar,

Um olhar, o desejo,

Roupas no chão...

O que há entre você e mim

É um único coração.

E quando te abraço,

Sinto um tapete de estrelas,

Sinto borboletas voando...

Sinto e sinto e sinto...

O que há entre você e mim

É uma flor, é um jasmim...

E eu me perco nisso que é

Quase tudo, mundo e paraíso.

Te preciso...preciso...

Teu sorriso...nosso riso...

O que há é uma correnteza

Nos levando, nos perdendo

E nos achando...levitando...

Com você, estou sempre

E sempre levitando...
O que há é entre você e mim

É um beijo no escuro,

Uma alegria desmedida,

A própria vida...

E quando minha pele

Te comunga, sou algo

Entre a poesia e o amor...

Sou uma musa, uma flor...

O que há entre você e mim

É uma mágica, um encanto...

Só você me faz sentir assim...

O que há é uma delicadeza,

Um encontro divino.

O que há Meu Amor...

É o próprio destino...

O próprio destino...


Karla Bardanza

TEU CORPO



Teu corpo é pétala de rosa desabrochando

Em minhas mãos...

É paixão florindo entre beijos e abraços,

É o meu ritmo e o meu compasso.


Teu corpo é estrada e caminho,

É o vinho que me embriaga,

É lua deitada no mar...

É correnteza a me levar


Teu corpo é meu princípio

E o meu fim.

É o meu jardim

De delícias,é o meu jasmim...


Nele encontro calêndulas,

Orquídeas e azaléias...

Encontro mistérios de paz

E de guerra,encontro montanhas

E serras...


Nele habito noite

E dia.

Hiberno em tuas

Doces cavernas...

Amanheço,

Anoiteço,

e cada vez mais

Te pertenço...


Teu corpo é um poema

De delicadeza infinita,

É um cristal de rara beleza...

É a minha eterna surpresa...


Teu corpo é onde encontro meus tesouros,

Meu silêncio e o minha brisa de verão...

Teu corpo é meu amor em movimento,

É onde guardo meu coração.


Karla Bardanza

SOU TODA FELICIDADE

Na penumbra,
Algo me desnumbra.
Uma nesga
De teu nobre coração.
Talvez as suas cálidas mãos.
No escuro,
Vejo tanta luz
E sinto como
Você traduz o nosso
Amor.

Esplendor à meia-noite.
Entrega de expressão.
Candura de amantes.
Na penumbra,
Vejo bem adiante...
Leito de flor,
Momento singelo.
Elo de eternidade.
Na escuridão,
Sou toda felicidade!!!

Karla Bardanza

DESTINO


Cansei de discutir com o meu destino.Agora vou é brigar com ele, pois nem tudo que está escrito,será.Então, se você me ver desistir de mim e do outro, pode me internar.Enquanto eu tiver forças, vou lutar.
Karla Bardanza

A OUTRA


Ela caminha

pelo labirinto...

Silencioso coração

-Escuridão-

Em seus olhos,

uma cruel sombra.

Uma dor escondida.

Uma morta-viva.

Feroz boca

a procura

de um vão.

-Solidão-


Ela vaga

pela madrugada.

Em seu corpo

outono e inverno,

purgatório e inferno.

Noite eterna

de uma mulher sem alma.

Calma espera

de um sono

sem fim.

Essa sem sina

mora dentro

de mim.

E arranha

minhas entranhas,

rasga-me,

querendo sair.

Essa nunca

deixa-me sorrir.


Karla Bardanza

O SILÊNCIO DO MEDO




O que me consome são todos os silêncios...

Quantas vezes minha boca amordaçada,o medo,o nada.

O que me corrói é o vazio,o frio coração,o não antes do sim.

Nunca mais o silêncio do medo,a voz embargada,o mudo sentir...

Nunca mais fugir...Ouço o barulho infinito do meu coração a pulsar...

Ouço, finalmente,vida em mim...

O que me dói é o imutável passado, a menina no escuro, o futuro...

O que me mata é o que não posso mudar

pois, marcado na alma está...


Karla Bardanza

VOCÊ É O ACONTECIMENTO DE SUA VIDA



Você parou para observar que, às vezes, a vida parece que não chega a lugar nenhum.Tudo fica suspenso, totalmente parado e ficamos condenadas/os à imobilidade exterior total.Você olha para um lado, olha para o outro e nada. Um tédio louco toma conta de você.Nada te preenche, te deixa com borboletas na barriga, falta paixão pela vida, por algo que você nem sabe o que é. É, a sensação é horrorosa! Nada acontece, ninguém te telefona, ninguém te convida para sair, os amigos somem e você fica se sentindo bichinho jogado fora, igualzinho aquele cachorro de raça sujinho e perdido, que você viu na rua no outro dia. Bate aquele desânimo, um tremendo distanciamento do mundo e você se acha tão desimportante! Tudo fica sufocante, monótono. De repente, você tem uma idéia “ brilhante”, pensa em ligar para a/o ex, ou então, acha que é melhor dar bola para aquela pessoa que está correndo atrás de você há semanas,mas que em verdade, você não sente nada por ele/ela...Está com a síndrome estou-só-vem-me-fazer-companhia. Fica tão miudinha/o, se sente a/o última/o das/os mulheres/homens...Fica ali, esperando a vida acontecer e a vida não acontece.Então, pensa que tem que fazer a vida acontecer.Mas, não bem por ai.Pois é, encare isso como um momento de descanso.A vida não pára. A danada pode estar até ocupada com outra pessoa, mas pode ter certeza que ela irá olhar para você.Enquanto, você fica chateada/o, a vida está gestando algo. O destino sempre nos pega de calças arriadas. Quando a gente menos espera, tudo muda. Quem está desempregado, arruma um trabalho.A mocinha triste se apaixona, teu chefe te manda para o olho da rua ou você ganha a tão sonhada promoção. Teu carro enguiça e ali, bem no meio da rua, você encontra a mulher de teus sonhos. A vida é uma eterna surpresa!John Lennon disse que a vida é o que acontece enquanto você está ocupado fazendo planos...Creio que ele está certo!A gente nem percebe que o melhor momento é o agora. Esse agora é a semente do futuro e mostra o que você plantou no passado. A gente fica fazendo planos e esquece de aproveitar o momento, a própria vida. Ficamos tão acostumadas/os a correr que quando paramos, pensamos que não estamos aproveitando aquele instante. Será que não estamos curtindo quando nos sentamos quietos para contemplar o pôr-do-sol? Será que não estamos aproveitando quando estamos numa atitude passiva? Ora, o Nirvana só pode ser atingido na calma, na paz. Portanto, se tua vida está sem acontecimentos, não fique preocupada/o.Você é o próprio acontecimento.A vida só pode ter sentido se você dá sentido à ela. Olhe para dentro de si e deixe a vida te levar...Maravilhas irão acontecer.


karla Bardanza

EU E VOCÊ









Dentro do labirinto



Busca
Um caminho e voltas



Revolta



Perda






Dentro do labirinto



Um caminho



Para dentro de mim



Como chegar



Se nunca vim?






Um labirinto



Sem fim



Portas e saídas



E a minha vida?



Ferida a matar



Não vou encontrar



A entrada






Um labirinto



Uma estrada



Estou presa nisso



E não há nada



E não há luz






Nada que escrevo



Traduz
A perda



A dor



O grito preso



O desamor






Um caminho de ida



Um caminho sem volta



Uma porta fechada



Em mim escuridão



Em mim eterna madrugada






Torvelinho



Rede-moinho a me levar



E nunca morro



E nunca paras de me matar






Corro no labirinto



E sinto e sinto



E sofro e sofro



Sangue a escorrer



Vida sem viver






No labirinto



Eu e você.






Karla Bardanza

NOITE NA ALMA




Ó noite caindo sobre mim,noite de eterna solidão,sem estrelas,sem luar,sem fim.Minhas lágrimas são gotas de medo escorrendo pela minha face em cruel segredo.Meu coração em total degredo,nada sente,nada vê.Um silêncio arrebenta as janelas do meu peito,atravessa telhados, e amordaçado é apenas caminho e consolação.Ó voraz noite sem dia a me despir, a me empurrar para o abismo de imensa escuridão,infinito morrer,minha vida na contra-mão.Ó noite de morta saudade escoando pelo meu corpo,pela minha alma.No espelho,meu rosto desfigurado,precipício e pranto a me visitar. Nada a dizer,nada a falar,salvo a certeza que faz-se noite em minha alma desde que deixei de te amar.Ó maldita constatação rasgando minhas entranhas,faca rasgando o coração cada dia mais e mais.Terrível verdade oculta em meu ser.Verdade silenciosa a mostrar-me que o perdão cansou de te perdoar,que o amor não consegue mais te amar.

Karla Bardanza


CORAÇÃO EM FESTA


Alegria dança...

No meu peito em festa,

Música carnática,

Barathanatyam,

Odissi e Manipuri a seduzir...

Anise-suwa,ilaichi,dalchini,

fazem os olhos viajar...

Khas khas,loung, delícias

para a boca agradar...

Uma festa indiana me faz levitar...

Meu coração cheio de beleza baila e celebra.

E baila enfeitiçando...Amando,

ele quer se perder ao luar...

Movimentos e magia,

sonho sem fim,estou no Taj Mahal,

estou em Kerala,a vida é fenomenal...

Sinto a música, sinto a vida nas veias...

Melodia a me envolver...

Estou feliz, felicidade é poder viver...

Meu coração em festa voa,

cria asas, encontra sua casa na alegria...

É,a vida é poesia!

Luzes acendem em mim,

cores por toda a parte.

Acredite viver é uma arte...

Então, aceite uma guirlanda de flores,

deixe seu coração desabrochar,

a vida é amor...Venha amar...


Karla Bardanza




Barathanatyam,Odissi e Manipuri são estilos coreográficos da dança indiana.Anise-suwa,ilaichi,dalchini,Khas khas,loung são especiarias da Índia.

MINHAS FACES DE HÉCATE



Tenho faces,tenho fases,frases para me agradar.

Sou tantas e sei com quantas eu posso contar.

Às vezes, sou branca luz,sou toda entusiasmo

E evolução,sou crescente prosperidade,sou

Força em ascensão.E me sinto tão moça,

Tão jovem,tão benfazeja.Bebo uma cerveja

E sou pura alegria,danço,brinco e faço poesia.

Vou correndo atrás do amor e não quero nem

Saber.Sou porta do céu, encanto sem véu,

Sou um cometa feliz bailando no céu.


Outras tantas sou também mudança.

Cuido de minha criança.Sou minha

Própria mãe,sou a mãe cuidando da filha.

Sou gestação.Engravido de planos,

De projetos e desafios.Nem sinto frio

.Meu coração não fica vazio.Alimento

A lua nova que em mim habita.

Sou fértil em desejos e o meu prazer

Está na vida,nos beijos,nos abraços,

Nos passos que dou para me encontrar.


Quando fico em repouso,nem ouso.

Fico à míngua, minha língua é só sabedoria.

Minha harmonia está na experiência vivida.

Fico tão velhinha,sozinha no meu canto

Contemplando meus antigos encantos,

Pesquisando motivos para viver.

Meu prazer é ver minha filha crescer.

É viajar na saudade de meu próprio tempo.

É cuidar de meus livros e de meu canteiros

Em flor.Quando morro é sempre por amor.


Faces tenho,fases também.

Mas diga-me quem

Não as têm...

Karla Bardanza

UMA MULHER SEM CORAÇÃO




Uma mulher sem coração

Anda calma do meu lado

Olhar frio, mente afiada,

Alma de neve, toda madrugada


Quando chegou

Nem notei

Veio com o vento

Nem sei


Ela sem sentimento

Ela tão calada

Ela é destruição

Uma mulher nublada


Nada diz,dor guardada

Seu coração secou

Murchou numa revoada

Acho que alguém amou


Ela num canto

Ela desalmada

Sempre me causa espanto

Sempre despovoada


Anda abraçada comigo

E deixo ela me levar

Sou seu abrigo

Com ela aprendi a desamar


Ela me ensinou tanto

Como tão bem dissimular

Sou uma atriz, sou um encanto

Agora entendo bem a arte de amar


Depois que ela chegou

Nunca mais armadilha

Se alguém me amou, talvez

Sou uma ilha


Se amei, muito

Perdi e até sofri

Ela me ensinou a superar

Levou meu coração para enterrar


Acho que ele está por ai

Deve estar em algum lugar

Dentro de mim? Não

Aqui ele não está


Uma mulher sem coração

Está perto de mim

Murou meu jardim

Podou meu açafrão


Uma mulher sem coração

É meu surdo segredo

Nem sei mais quem sou eu

Ou se eu sou ela


E quando me olho no espelho

Lá está ela em perdição

E vou junto sem pensar

E faço o que faço sem razão


E já não penso

E nem quero mais pensar

Nunca mais dor de amor

Nunca mais amar...


Karla Bardanza

EM MIM ESSA FALTA DE VOCÊ






Eis que a noite cai sobre mim


E o que vejo já não quero ver.


Apenas encontro destroços no jardim


Naquilo que já foi meu viver.




Com dor em meu peito,vergo.


O peso do meu coração é insustentável.


Nada em mim albergo


Salvo essa lágrima imutável.




E nada mais encontro na vida


Que acalme essa infinita dor.


Quem pode curar essa ferida


Além de você Meu Amor?




Por que levastes contigo


Este meu pobre coração?


Quero afundar no mar amigo.


Quero esquecer essa paixão.




O que sou e sou apenas sonho.


Sou quimera,dolorosa fantasia.


Sou triste música que componho.


Sou o vento levando uma melodia.




E o que vejo em mim é apenas pó.


E vejo e não quero ver.


Em mim a tristeza de estar só.


Em mim essa falta de você.




E agora sou morte em vida


E já não sinto o ar respirar.


Sou apenas mágoa refletida


Desse medo de ainda te amar.




Karla Bardanza

A SENHORA DO PRAZER





Em um tempo infinito

habito em escuridão.

Nas trevas, alguém me leva...

Sou encanto solitário,

sou o eterno pecado.

Alguém me chamou

ali daquele lado.


A vida me escolheu.

Se alguém já foi meu,

ainda não sei.Se amei

,foi puro desatino.

Meu destino está

nas nuvens,

num lume de estrelas,

nas esquinas do luar.

o instinto é minha arte,

sou uma boneca de amar.


Sou uma moça,uma cortesã...

Outra noite amanhã.

Sou uma bela gueisha,

não há queixa.

Sou tantas quanto posso ser.

Sou a senhora do prazer.

Karla Bardanza

UM PEQUENO DELITO


Um pequeno delito.
Um dano,
Um desengano sombrio.
Um dia de cio.


Um crime
Sem testemunhas.
Um medo pelo ar.
Um fato isolado
Escondido.
Um tempo para calar.


Um olhar atroz.
Uma noite feroz.
Um sobrevivente.
Quem de nós?


Uma boca.
Uma mágoa.
Uma dor
Que deságua.


Um crime de paixão.
Um momento para esquecer.
Um pequeno delito:
Ter amado você.




Karla Bardanza

SAUDADES TUAS


E agora que é outono,
E maio bate á porta,
Algo me transporta...
Um sono de saudade
Invade meus sonhos.

Componho sonatas,
Caço estrelas,
Enfeito meu céu particular
Com o vento e com
A espuma do mar...

Vago pela cidade,
Replanto meu jardim,
Coleciono pérolas, pétalas,
Lírios, calêndulas e jasmins...

Vasculho cada lembrança tua
Abandonada dentro de mim...
Encontro tanta delicadeza...
Noites de esperança
E tua nobre grandeza...

Pego a mão da saudade
E deixo-me levar.
Chego tão perto de ti.
Mas nada há...
Apenas uma begônia
Em teu lugar.

Volto...Um labirinto
Sem fim dentro de mim.
Sou borboleta sem céu.
Meus passos de mel
Pelas nuvens da madrugada...
Sou uma mulher nublada.

Nada vejo.Cheiro
Tuas mãos ainda marcadas
Dentro de meu coração.
Nada digo.Fecho os olhos.
Prossigo...Maio vem
Tão eterno...Terno momento
De flor...Saudades tantas...

Saudades tuas Meu Doce Amor.


Karla Bardanza

DA ALMA AO CORAÇÃO



Perco sem nunca

ter tido,ao som morto

do meu coração partido

e sei que tudo me esquece...


Cresce ainda em mim esse gosto

do que não terei ou tive,

e o que sinto morre em vão...

E o que ouso pensar é o que temo...


Tremo em saudade,fuga

veloz em direção à vida...

Ferida aberta e enlouquecida.

Por que o céu nada diz?Ser feliz...


Ó Deus como posso ser?

Sem você,sou desolado alvoroço,

sou choro e poesia triste.

Diga-me alguém que o amor existe.


Nada ouço.Nada.

Morre em mim flores,

canteiros inteiros que vão

da alma ao coração..

Morre mais um dia

esse amor,essa paixão...


Karla Bardanza

SOBRE A MULHER E O MAR






Uma mulher é um mar...


Correnteza forte a levar


doces mistérios no olhar...




Uma mulher é um mar...


Em suas entranhas,


pérolas,flores e segredos.


Muitos querem ver,mas


poucos chegam lá...




Uma mulher é um mar...


Carrega um fascínio


que não pode revelar.


Às vezes, ama e não


pode amar...




Uma mulher é um mar...


Sempre esconde uma sereia


e sua voz de luar.


Sempre tem um encanto


para mostrar...




Uma mulher é um mar...


Quem não quer em


suas águas se banhar?




Karla Bardanza

DA SOLIDÃO ACOMPANHADA



Quantas vezes essa falta de sintonia de mentes e corpos nos invade e nos detona com aquele alarde de quem entra em mar bravio,pensando que seus dotes de nadador/a de final de semana, irá ajuda-lo/a quando vier aquela enorme onda.Quantas vezes aquela sensação de que o relacionamento é aquele prato que você põe no micro-ondas para esquentar.O fato é que quando você vai comer,o gosto não é o mesmo.É a própria pizza requentada, queijo borrachudo com gosto de sola de sapato!Quantos domingos você só na cama vendo televisão ou chorando diante de uma música que te faz lembrar o início da relação, onde o coração era tão mais forte e a ilusão usava óculos cor-de-rosa.É, inúmeras vezes, você de mãos dadas com a dona solidão.E o outro, a outra, sei lá!No trabalho, na casa da família, no futebol,com o periquito ou talvez com o papagaio,fazendo sei lá o quê!E ai você pensa, tem aquele “insight” violentíssimo de que você falhou...Afinal de contas, está vivendo algo que está longe de ser um amor verdadeiro ou um relacionamento.Nossa!Que dor arrebentando o peito, lado esquerdo paralisado, enjôo, vontade de vomitar tudo na cara do outro, de dizer que você está de saco cheio, de que isto não foi a vida que você sonhou...Vontade de cortar fotos, laços e tudo mais.E, você não faz!Remoe a dor, enxuga as lágrimas e diz que tudo vai ficar bem, melhorar.E fica?Não, claro que não.Aos poucos, o fosso que te separava da outra pessoa tranforma-se em uma cratera, a mesa fica grande demais para passar o sal e nem com um megafone, o coração do outro te escuta.Você fica ali remando contra a maré, empurrando com a barriga, mas e os teus sentimentos?Bem, isso vai morrendo, tuas flores murchando, tua luz apagando.Falta o amor com A maiúsculo,falta aquele sentimento de completude.Você se olha no espelho, mas cadê a imagem?Tudo vazio,tua alma te abandonou.Você se sente numa encruzilhada e pensa que é melhor o inimigo que você conhece.Então, resolve engolir os sapos, os sapinhos,as sapas e os sapões e fica ali no labirinto onde nenhum caminho te leva a qualquer lugar.Contudo, virá um dia em que você vai estar cansada/o de bancar o avestruz e terá que tomar uma decisão.É, ou vai ou racha e ai você já sabe que vai rachar.É aquela velha historinha, o que não tem remédio, remediado está.Mas,sinceramente,como diz minha mãe tão empiricamente, antes só do que mal acompanhada/o.


Karla Bardanza

UM AMOR SEM FIM




Laços que nos unem, ténues fios do amor.

Flores rasgam o meu peito, tudo em ti

Foi feito para mim...Braços de alecrim,

Pele de âmbar, olhos de luz, bela beleza

Delicada a me beber, envolver e amar...

Sinto em minhas veias líquido afecto,

Amor concreto, concreto amor, você…

Chegou e agora já sei onde estou...

Tua alma perfumada a me guiar,

Tanto para te dizer, tanto para falar...

Sou desejo lânguido a flutuar...



E flutuo e viajo nesse teu mar,

Tuas correntezas a me levar

Para tão além de onde eu posso

Ficar...Teus oceanos a me buscar

Em total estado de sublime flor...

Querendo sempre mais meu amor.



E eu, respondo ao teu apelo,

Escuto as tuas palavras, meu amor…

Meu amor, que me enfeitiças…

Musa que inspira o poeta,

E me fazes navegar neste mar,

Chegar aquele lugar, onde a terra abraça o céu,

Naquele lugar, só nosso, onde me irás amar.



E deixo-me levar pela magia e sedução…

Nesta balada que me adormece e me levita,

Longe, perto, natureza viva…

O teu perfume adormece o meu olfacto,

E danças com sensualidade para mim,

Só para mim… neste momento de encanto,

Nesta beleza que habita em ti,

Como uma flor que ondula ao vento,

Acendes o meu corpo, despertas o sentimento.



Habitas neste desejo,

Que me consome e me prende,

Neste tempo, sem tempo, que pára...

Nada mais importa, nada mais…

Suspiros em néctares de paixão,

Tu fazes parte de mim.

Limites não há para sonhar,

Eu quero acreditar,

Que o nosso amor não tem fim…



Escrito por Luís F e Karla Bardanza

VIAGEM







Divino cheiro pelo ar,



incenso,flores,comidas



para sentir e perfumar...



Gosto de vida,coração



e uma ferida,deixei tudo,



deixei minha alma cansada



e atrevida fui viajar...






Pele antiga no chão,



novas asas,diferentes



pessoas,caminhos,paixão,



terra nova a seduzir e encantar...



Templos,Divindades,eu



em outro lugar...



Eu me procurando...



Eu tentando me encontrar...



A cada passo, um abraço,



um motivo para viver,



eu reconstruindo o meu ser...






Uma dança, um olhar,



a vida ensinando-me a amar...



Viagem dentro e fora de mim...



Viagem para me buscar...



E quando me encontrei



nunca mais parei de sonhar...



Às vezes,perco minha alma



em algum jardim,às vezes,



estou de volta,sempre divido-me,



nunca sei onde é o meu lugar...






Habito variadas terras,visto-me



em sorrisos,em saias e saris...



Cabelos curtos,tranças,



pulseiras e bindi...



Sou várias,sou tantas,



sou daqui, de lá,de onde



a brisa está...Viajo...E sei



onde vou parar...



Viajo e só tenho uma certeza:



quero mais é viajar...






Karla Bardanza

APRENDENDO COM KRISHNA E CRISTO



Não!Este texto não é sobre religião!Este texto é uma tentativa e apenas uma simples tentativa de mostrar o quanto Krishna e Cristo tinham em comum.Falo de idéias, de pensamentos que nortearam milhares de pessoas e continuam influenciando a humanidade ainda.Tanto o Novo Testamento quanto o Bhagavad Gita (A Sublime Canção), ou em outras palavras a mensagem suprema de autoconhecimento deixado por Krishna são ensinamentos maravilhosos. Abra estes livros com olhos de quem deseja descongelar os sentidos como ser humano. Leia-os raciocinando, pensando no que está escrito, e não apenas sendo um leitor passivo, ou seja engolindo as mensagens sem saboreá-las com prazer.Muito há em comum nas palavras de Krishna e Cristo. Ambos falam na ignorância como a grande causadora de sofrimentos e da verdade como libertação. Porém, a liberdade só pode ser alcançada através do autoconhecimento. Krishna diz que há dois caminhos para atingi-la: um é o da sabedoria e o outro da ação e ambos são alcançados quando a pessoa tem o perfeito domínio de seus sentidos. Isso significa que ela é capaz de realizar seus atos externos, mas está desapegada deles. Nesse sentido, a pessoa faz o que tem que fazer por amor e não esperando louros, lucros ou qualquer outro tipo de vantagem. Sendo assim, quem vive apenas visando seu gosto pessoal, vive em vão. Evidentemente, este homem ou mulher é escravo/a de seus sentidos, ignorante da verdade. Ele/ela é afetado/a pelo mundo externo e obviamente, se está preso/a à realidade exterior é porque ainda não olhou para sua própria divindade. É escravo/a de seus atos e por assim ser, está condenado/a à perdição e essa atitude apenas obstrui o seu caminho de auto-realização. Simplificando, faça o que tem que fazer sem nada esperar, sem a necessidade de prêmio externo como reconhecimento ou gratidão, liberte-se do “TER” e entre na beleza plena do “SER”. Esta idéia você encontra patente no Evangelho nas seguintes palavras: “Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro se sofrer prejuízo em sua própria alma?”.Quando Cristo fala dos “puros de coração” em seu Sermão da Montanha refere-se justamente ao que Krishna fala no Gita e o próprio Krishna fala que puro de coração é aquele que renuncia a si mesmo, é aquele que realiza todas as ações sem ser escravizado por nenhuma delas, ou seja, é o/a homem/mulher que vive sua vida sem ser guiado/a pelo TER, sem ser cativo/a da idéia de vantagem ou lucro.Muitas outras idéias compartilham Krishna e Cristo, entretanto, nada é mais certo do que este culto do TER. O eixo existencial do ser humano deslocou-se para o exterior. A felicidade está fora do Ser e, conseqüentemente, o que temos é uma progressiva desumanização do ser humano, que é levado a acreditar que as respostas vêm do exterior.Contudo, como Tchecov ainda acredito que o ser humano apenas possa realizar a promessa de sua humanidade se conseguir se libertar do “escravo” que carrega em si, e isto significa viver sem coerção ou falsidade, sem a ilusão de uma falsa liberdade. Isto é viver na ignorância. Isto é viver muito distante do que Krishna e Cristo falaram.O que escrevi é apenas uma pontinha do iceberg. Muito mais há para ser bebido no Gita e no Evangelho. Muito mais há para ser aprendido com Krishna e Cristo.


Karla Bardanza